quarta-feira, 2 de maio de 2018

Concurso PM PR 2018: Pedido de edital com 4.000 vagas para nível médio tem avanços!

Polícia Militar do Estado do Paranátem previsão de divulgar a abertura de edital de concurso público (Concurso PM PR 2018) em breve. E o certame é considerado urgente por parte da corporação. Acontece que as restrições impostadas por setores do Governo do Estado em torno do lançamento de um novo edital podem reduzir o efetivo da corporação em pelo menos 4 mil policiais nos próximos anos. A previsão é pautada pelo número de profissionais que vão para a reserva a cada ano.
O presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, deputado Mauro Moraes, voltou a se reunir com o governador Beto Richa no último  para discutir a abertura de concurso público para a Polícia Militar do Paraná. O chefe do Executivo sinalizou que poderá autorizar o edital em breve
O governador deixou claro ao parlamentar que o lançamento de edital para a PM/BM consta na lista de assuntos que deverão ter um encaminhamento até o final deste mês, último prazo para a desincompatibilização do cargo, exigência eleitoral para sua candidatura ao Senado. O governador ainda não definiu se é candidato ao Senado. “Essa decisão é fundamental para termos uma dimensão de quando de fato teremos a publicação do edital para o concurso”, comenta Moraes. Entretanto, afirmou que, caso deixe o cargo para concorrer a uma vaga ao Senado, vai assinar o protocolo que já está em andamento para a contratação de 4 mil policiais. A inclusão, no entanto, deverá ocorrer gradativamente para repor aposentadorias e baixas.
O Protocolo em andamento no Comando da PM prevê a abertura de pelo menos 4 mil vagas para policiais militares. Moraes fará ainda um apelo ao Governador para que todo o trâmite referente ao protocolo ganhe celeridade, garantindo a realização de provas ainda no primeiro semestre deste ano. “É preciso levar em consideração que, após a aprovação de um candidato, ainda teremos no mínimo dois anos entre as resoluções burocráticas e administrativas para a contratação até a conclusão do Curso de Formação de Soldados. Ou seja, teremos baixas na PM que não serão supridas dentro de menos dois anos, o que acarretara em uma redução do efetivo e aumento da criminalidade”, explica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário